terça-feira, 8 de maio de 2012

ALGUM DE VOCÊS ME PEDIU UM SONETO?












Maria João Brito de Sousa


Ouves o Sol a rir, junto à tapada?
Nem sei por que me apresso a despedir
Se acabo de inventar um sol a rir
E assim, quase a partir, nem me dói nada…

Destas conversas - sempre à hora errada! -
Dizendo o que não posso definir
Ou evocando um tempo de partir
Que um dia quis levar-me antecipada,

Deixo este não-sei-quê que não me assusta,
Que me leva e me traz – pouco me custa… –
E acaba por gravar-me um verso ou dois

Que a chibata me vibra, em marca adusta,
Como se fosse só pr`a tornar justa
A dor, menor, que irei sentir depois…


(Soneto publicado com a autorização da autora)