segunda-feira, 20 de maio de 2013

LANÇAMENTO DO LIVRO “DESFAMILIARES”, DE LEILA MÍCCOLIS


Livro: DESFAMILIARES – Obra poética de Leila Míccolis (1965-2012)
Autora: Leila Míccolis
Editora: Annablume (São Paulo)
Lançamento:  7 de junho  de 2013, Livraria da Travessa de Ipanema, às 19 horas
Páginas: 578


A OBRA

DESFAMILIARES traz a poesia de Leila Míccolis, reunindo suas obras individuais, as em parceria e os poemas esparsos em antologias nacionais de 1965 a 2012 e também Fortuna crítica: Affonso Romano de Sant’Anna, Angela Garcia, Carlos Nejar, Gilberto Mendonça Teles, Heloísa Buarque de Hollanda, Ignácio de Loyola Brandão, Ítalo Moriconi, Jair Ferreira dos Santos,  Nélida Piñon, Wilberth Clayton Ferreira Salgado. A capa é dos artistas pláticos: Urhacy Faustino e Mônica Banderas. Prefácio: Glauco Mattoso. 

Apresentação: Antonio Vicente Seraphim Pietroforte.

Sua produção poética não é acomodada ou suave, até porque sua autora é um dos ícones da Poesia dos Anos 70, que traz a insubordinação e o questionamento como algumas de suas características principais. Os poemas de Leila Míccolis são em geral transgressores, demolidores, irônicos, ferinos, críticos, cítricos, rebeldes, provocativos, mas bem-humorados. Inquietam, abalam, surpreendem. A obra de Míccolis, considerada uma das primeiras poetisas feministas brasileiras, contribui para a reflexão sobre a construção social da igualdade dos gêneros. Porém ela não se atém ao âmbito do universo feminino: vive amplamente o cotidiano do mundo contemporâneo – com suas perplexidades e contradições – interagindo com todos os grupos e setores da sociedade.

A AUTORA

Carioca, advogada (sem exercer atualmente a profissão), Mestra e Drª em Teoria Literária pela UFRJ (fazendo o pós-doutoramento), escritora, 30 livros editados (poesia e prosa), obras publicadas na França, México, Colômbia, África, Estados Unidos e Portugal, teatróloga, roteirista de cinema e escritora de novelas de TV, entre elas: “Kananga do Japão”, “Barriga de Aluguel” e “Mandacaru”. Ministra cursos on line de teledramaturgia. Elaborou verbetes para a “Enciclopédia de Literatura Brasileira” (MEC/OLAC) e também publicou: “Catálogo da Imprensa Alternativa”, 1986, pela RioArte/Prefeitura do RJ. Publicada na Revista Poesia Sempre (Biblioteca Nacional/MEC), consta do Banco de Dados Informatizados do Banco Itaú - Módulo Literatura Brasileira, Setor Literatura/ Brasileira/Poesia/Tendências Contemporâneas) e dos “Cadernos Poesia Brasileira” - vol. 4, “Poesia Contemporânea”, editado pela mesma instituição, 1997. Coedita Blocos, com Urhacy Faustino, revista impressa e eletrônica .