segunda-feira, 30 de julho de 2007

A Ingmar Bergman, que hoje nos deixou

VIAGEM

No nascer do sol
O expoente se inicia
Com a maldição do olhar.
E nas trevas ardentes
De chuvas que brotam
De mágoas intensas,
O sol desaparece
Num quebranto
De dor e amargura
Num espanto
De amor e ternura.

Márcia Sanchez Luz ©