quarta-feira, 16 de julho de 2008

Ética versus Estética



Se tu te declarares um esteta,
provoco-te com meu delineador,
delineando as curvas mais diletas
de teu abecedário apicultor.

Se por ventura fujo da dieta,
não abro mão de meu compilador;
converto teus enganos em facetas
piores do que o mais devastador.

Proponho que façamos um contrato:
mostra em teu corpo a face mais bonita
que escondes na carcaça que te habita.

E para sermos justos neste trato,
faço de mim a lícita guarita
de teus temores, tua fé finita.

© Márcia Sanchez Luz